O Projeto Gira Mundo surgiu, com uma troca de gentileza, um Terapeuta ofereceu uma terapia, pra um amigo dele. Com a idéia que ele conhecesse uma nova técnica que ele estava aplicando. E o amigo aceitou e ficou lisonjeado com  a gentileza.. Porque nunca havia feito uma terapia…  

E disse ao terapeuta, se precisar de mim, não hesite em pedir…

Como fazemos a todo tempo!!! Dizemos na maioria das vezes da boca pra fora!!!  Mais, por educação!!! Porque ó dia-a-dia dos paulistas é muito corrido. E no geral, entramos no modo AUTOMATICO da vida. Sem mesmo, parar 5 minutos do dia para respirar ou agradecer as pequenas coisas da vida, e os pequenos favores. E até mesmo a saúde e a oportunidade de estar lendo agora. 

Não muito tempo depois o Terapeuta ligou para o amigo, e disse: 

Vou mudar da casa da minha mãe, para um apartamento, consegue me ajudar?

E o amigo respondeu: Sim…. Vou ver o que consigo e te ligo… 

E conseguiu um caminhão e outros amigos pra ajudar na mudança…  No meio da mudança o terapeuta comentou com ele: 

Não tenho amigos assim!!! O que o amigo respondeu: Como assim?Pois, no meu mundo temos um grupo de umas oito pessoas  que na medida do possível e do impossível, ajudamos uns aos outros. E ajudamos o amigo do amigo também se o amigo precisar….

Fique tranquilo, que quando eu precisar de um favor, te ligarei…

E ligou!!!   Um desses amigos que fizeram a mudança, passou mal e foi internado…

E fomos até a residência dele e tratamos os passarinhos dele ( que mora sozinho), demos comida aos cachorros, e quando ele saiu do Hospital fomos buscá-lo…

E surgiu a idéia de montar uma corrente de Profissonais e amigos, para ajudua mútua!!!

A princípio, porém, a idéia ganhou corpo e hoje é um Projeto Gira Mundo da Casa de Caridade Filhos de São Miguel Arcanjo, situada na Zona Norte de São Paulo.

O conceito do projeto é fazer o Mundo da Pessoa Girar ( desde um acompanhamento psicológico) porque vamos entrar na residência da pessoa e tentar resolver os principais problemas aparentes e não aparentes da pessoa…

Como:

1 – Acompanhamento de Psicólogo para levantamento das principais necessidades, emocionais ou físicas,  pois, as pessoas mais humildes ou muitas vezes bem informadas ou cultas , por muitas vezes, nunca conversaram com um psicólogo ou terapeuta, superando traumas de infância e carência na informação em busca da resolução dos problemas. Para não parecermos invasivos. Levando em conta, a permissão do atendido.

2-  Breve avaliação do que os voluntários podem fazer ( 30 dias antes da data da execução) tirando fotos e planejando a ação e execução do evento.

3- Angariar os itens para reforma da residência ( principal local a ser reformado). 

Exemplo: Retirada de  Entulhos do quintal e levar a um local adequado ( Ecopontos em São Paulo);

Construção de um portãozinho,

Pintura de algum comodo, 

Readequação dos móveis, 

Angariar eletrodomésticos por meio de doação; 

acompanhamento psicológico para possível realocação profissional ou encaminhamento com orientação de novas formas  de trabalho,

Orientação sustentável, etc. 

Ajuda no tratamento de saúde ( Orientando aonde buscar ajuda);

 4 –  Orientação psicológica dos voluntários para cooperação voluntária e benéfica, sem espera de recompensa e agradecimento. A recompensa é a interação e a amizade, criando um elo com quem pratica esse voluntariado, transportando as carências internas para um mundo totalmente inexplorado e impossível  de se precisar o ponto de chegada…  

Talvez Girando o Mundo da Pessoa atendida ou Girando o Mundo dos Voluntários.

5 – Voluntários não precisam ser pedreiros, encanadores, pintores, eletricistas, etc. Pode ser qualquer pessoacom boa vontade e disponibilidade para ajudar, as vezes a dificuldade de uma pessoa é a resolução dos problemas do seu vizinho.

 

“Trabalho voluntário não é coisa de gente santa. Não é para quem quer mudar o mundo ou ser bem visto. Trabalho voluntário é para quem quer mudar a si mesmo e está disposto a aprender por meio do contato com novos mundos. É uma excelente ferramenta de empatia, onde o aprendiz ensina mais que o professor. Voluntariar é transbordar de tanto aprendizado e gratidão, é superar dores e desafios inimagináveis, porque vê na história do outro as bênçãos da própria vida. A nossa maior ligação é humana, feita de respeito e gentileza. Onde existem voluntários, existe a mistura das cores, das classes, das crenças e de passados. A curiosidade pelo outro alimenta a nossa alma sedenta por sentimentos reais! Voluntariar é doar amor para curar a dor do outro, e sem saber, descobre que esse é o remédio para curar a nossa própria. Em todos esses mundos eu encontrei um olhar de gratidão profundo, desses que desconstroem quem achávamos que éramos e faz renascer quem realmente queremos ser nesse mundo!!”

gira-mundo